Sunday, October 31, 2004

They don't call me Mega Post Girl for nothing - Parte 2

Na verdade, acho que só entramos no Continente porque a M&Ms queria um carrinho para pousar o raio do Lenninger :\ Pegamos num carrinho, atiramos lá para dentro com o Lenninger, os casacos, a pasta da M&Ms e entramos já de carro cheio. Se aquilo fosse um daqueles carros grandes, ia ser um bocado ridículo estarmos com o carro cheio de coisas e depois chegarmos à caixa e só pagarmos para aí um pacote de bolachas, mas era um carro daqueles de caixa alta, mais pequeno. Andamos às voltas algum tempo, a descobrir novos e excitantes produtos – por acaso eu gosto mesmo de andar no supermercado lol – e depois fomos até à secção das bolachas escolher qualquer coisa para comer. Compramos um pacote de Chipmix e éramos para comprar umas cenas que se chamam Quadratini, mas não havia de avelã (ficamos nós tristes e a carteira contente, é que aquela porcaria é boa que se farta mas é mesmo cara :\). Um pacote de Maltesers, um Chipicao, um Bollycao e uma viagem à secção das bebidas acabaram a nossa tour pelo Continente, mas não antes de eu me empoleirar no carrinho e ter andado de um lado para o outro pendurada naquilo e dar lanço com os pés. Um comportamento muito adulto. Fomos para a Praça da Alimentação comer o que tínhamos comprado enquanto esperávamos pela Litha. Ela chegou passado para aí um quarto de hora e só aí é que demos conta que o filme era uma hora mais tarde do que o que estávamos a contar, assim tivemos mais tempo para estar na conversa. Claro que, estando nós as 3 juntas, o tema de conversa rapidamente variou para um tema específico que eu não queria discutir, e por isso fiquei um bocado enfiada. Sei que lá por andar um bocado em baixo, isso não significa que tenha de aborrecer os outros também, mas naquele momento não consegui evitar ser um bocado bitchy. Parecia-me que só eu é que tinha razões de queixa, e não sabia porque é que elas faziam o panorama delas parecer tão desgraçado, quando o meu era umas 20 vezes pior. Acho que naquele momento, fui uma palerma que não sabe ouvir e em resumo uma porcaria de uma amiga. Mas enfim, depois de ter recuperado o controlo da minha sanidade, pedi as minhas desculpas, principalmente à Litha, que me disse que não desculpava nada porque não havia nada a desculpar, porque eu não tinha feito nada de mal. Ainda bem que eu, mesmo sendo às vezes uma parva, tenho amigos compreensivos! É a minha sorte... A seguir fomos para o filme e descobrimos que íamos ter a sala só para nós ^_^ Foi uma festarola, pudemos falar à vontade e a M&Ms pôde fazer o seus comentários em liberdade. Foi fixe ver o filme com a análise da M&Ms: “Heeeeey, ele agora vai muito lento!!”, “Possa, até eu apanhava aquilo...”, “Esta aqui vê-se que é mesmo jogadora, pela maneira como se posiciona no campo”, “Isto era impossível, o gajo chegava ali fazia logo um smash, não era assim”, “Olha, não me digas que ele vai ganhar o jogo só com ases!!”, “Eles estão a fazer mal, a maioria dos jogadores profissionais jogam sempre para lá da linha do não sei das quantas” (isto sou eu que já não sei aquele palavreado técnico todo, n foi a M&Ms a dizer assim). Muito giro mesmo ^_^ cada vez percebo mais de ténis, só por causa deste filme :D A M&Ms e a Litha às tantas enlouqueceram e puseram-se a esbracejar e a fazer altas figuras de toinas na sala, mas infelizmente foi mesmo numa altura em que estava alguém do staff à porta a ver se estava tudo em ordem lol elas quando deram conta afundaram-se na cadeira de uma maneira, a rirem-se à maluca, mesmo xD No fim, fomos jantar, encontramos os meus pais, eles ficarama conversar um bocado com a M&Ms e a Litha, e depois eu fui para baixo com elas, onde já estava oo pai da Litha para lhes dar boleia. Portanto em resumo, foi um encontro muito bom, porque estas duas manas são a melhor companhia se que pode querer, mas graças à minha parvoíce e estupidez (e também a uma tendência inata que temos para deslizar para temas de conversa deprimentes) não foi tão alegre como deveria ter sido.
Ontem fui ver o Alien vs. Predator com o meu irmão, tal como o previsto é banhada, mas de qualquer maneira precisava de sair e como os meus pais pagaram os bilhetes, it was cool :)
Hoje era para ir ver a prequela do Exorcista com o rigormortis e a M&Ms, mas tive a bela surpresa da Litha me telefonar a dizer que também podia ir :) mas que tínhamos de ir à sessão do fim da tarde porque ela não se queria deitar muito tarde. Lá acelerei eu os meus planos da tarde e às 18h30 estava no shopping, e por coincidencia a Litha estava no carro do pai, que estava mesmo atrás do carro do meu pai, no estacionamento, e por isso chegamos mesmo ao mesmo tempo. Como já contávamos em que o rigormortis e a M&Ms chegassem atrasados (já é rotineiro o rigormortis arranjar qualquer coisa irrelevante para fazer à última da hora antes de sair de casa, atrasando-se assim a ele e às pessoas a quem ficou de dar boleia), não tivemos pressa em ir para as bilheteiras. Andamos a ver as coisas, e depois sim instalamo-nos à beira das bilheteiras, onde a Litha me mostrou o que tinha aprendido na mais recente aula de ballet e dança moderna, quase derrubando uma senhora que se interpôs na sua coreografia lol foi um momento muito engraçado. Estivemos a falar de algumas coisas até eu receber uma mensagem com do rigormortis a dizer para comprarmos os bilhetes deles. Felizmente, a senhora que estava na bilheteira foi simpática e deixou-nos comprar os bilhetes deles de estudante (nós compramos de Cartão jovem hihihi) mesmo sem eles estarem lá para apresentarem cartão. Quando eles finalmente chegaram, a M&Ms vinha numa corrida doida, nem disse olá nem nada, pegou-nos pelos braços e arrastou-nos para a sala de cinema (o rigormortis, claro, vinha todo relaxado), onde para nossa alegria só estavam mais 4 pessoas. Escolhemos o nosso lugar, a Litha pediu para não ficar numa ponta porque com certeza ia-se assustar muito e precisava de ter alguém a quem se agarrar lol entao fiquei eu numa ponta e a M&Ms noutra, e a Litha ficou entre mim e o rigormortis. Eu e a M&Ms compramos as duas o Farenheit 9/11 que veio hoje com o Expresso, e que tinha uma promoção em que na compra de um bilhete para o Manchurian Candidate eles oferecem outro, portanto dá para irmos nós os 4 comprando só 2 bilhetes ^_^ Vimos a curta “I’ll see you in my dreams”, que eu andava cheia de vontade de ver há já algum tempo, e devo dizer que gostei. É esquisito ouvir falar português no cinema, e é pena aquilo ser uma curta porque parecia que a história estava a acontecer do nada, isso é que foi um bocado estranho, mas os zombies tugas estavam porreiros :D Depois o Exorcista também foi porreiro, pensei que ia ser uma banhada maior mas afinal até teve os seus momentos. Houve um certo abuso do computador para os efeitos especiais, e aí ganhou crítica negativa da minha parte. Acho que às vezes há técnicas que dão um efeito melhor, com mais simplicidade, e hoje em dia recorre-se logo ao computador... Sinceramente aborreceu-me um bocado. A história também se espalha por tantos lados que às tantas tem de se fazer um ligeiro esforço para nos lembrarmos a quantas aquilo anda. Não chega aos calcanhares do Exorcista mesmo, mas o esforço não é mau e o filme vê-se bem. A Litha passou o filme quase todo a falar lolol acho que era para não se sentir tão nervosa, porque lá para o fim do filme ela começou mesmo a tremer e agarrou-se a mim e ao rigormortis. Ver filmes de terror com ela é uma aventura, porque ela quase nos parte os dedos, ou os braços, de apertar com tanta força lol No fim do filme foi a vez de eu ser arrastada pela Litha, desta vez para fora da sala, porque ela não queria ficar lá dentro muito tempo, estava com uma impressão por causa do filme. Fomos jantar, e eu fui a primeira a ir buscar a comida. Eles não se decidiam por nenhuma comida e andavam às voltas feitos doidos pela praça da alimentação, enquanto eu ia debicando nas minhas batatas fritas. De repente, ouvi um riso muito alto que vi logo que era da Litha, olhei para o lado, e estavam eles os 3 especados em frente ao restaurante dos crepes, que era perto da nossa mesa, a olharem para mim e a rirem-se que nem uns perdidos! A Litha e a M&Ms até estavam a limpar as lágrimas dos olhos :\ Ao que parece, eles estavam ali há não sei quanto tempo a verem-me comer, ou como o rigormortis esclareceu, a brincar com a comida, porque eu andava a dar trinquinhas as batatas e depois punha-me a brincar com elas no tabuleiro, etc etc. Eles estavam histéricos. Pelos vistos sou mesmo engraçada a comer :P Quando eles finalmente se decidiram e voltaram com a comida já eu quase tinha acabado a minha, e já tinha tudo frio. Conversamos mais um bocado sobre o exorcista, e desta vez não deixei a minha estupidez estragar tudo, estivemos contentes :) Foi pena não estarmos mais tempo juntos, mas a Litha tinha de ir embora cedo. Ainda demos um saltinho ao Continente para vermos se já tinha saído a Premiere, como ainda não tinha saído, fomo-nos pôr a ver livros indecorosos lol Depois disso, aconteceu o que o rigormortis chamou de perfeito exemplo das diferenças de funcionamento entre o cérebro masculino e o feminino: ele foi ver um alto livro de carros potentaços, e nós pegamos em livros de bebés e pusemo-nos a ver as fotografias e a dizer “Awwwwww, que giros, tão fofinhos!!” lolol After that, eu aproveitei a boleia do pai da Litha para vir para casa, e cá estou. Quem me dera ter estado mais tempo com os meus manos lol mas já foi tão bom hoje :) Adoro este pessoal!
Amanhã tarde de estudo e conversa em casa da M&Ms. Desejem-me sorte para o estudo... :)

They don't call me Mega Post Girl for nothing - Parte 1

O resto desta semana foi um desfilar de altos e baixos. Terça-feira foi um dia porreiro, e o primeiro dia deste semestre em que não me senti mal na faculdade. Levantei-me às 6h30 para ir compensar a aula a que tinha faltado na segunda-feira, Microbiologia Ambiental, e tencionava fazê-lo na turma onde está quase todo o meu pessoal: o Citrus, a Porphyra, o Vício, o Mike, a Timli, a Elsa, e mais um quanto pessoal porreiro. Para já, é uma mudança agradável estar numa turma onde não está ninguém dos anos mais à frente :P Foi uma aula mesmo divertida. Estive sempre na conversa com o Vício e o Mike, eles divertiram-se muito a olhar especados para mim enquanto eu usava a micropipeta para encher os poços de uma microplaca e a fazer comentários do género: “Vejam só que segurança... a maneira como ela enche os poços... que mestria... com certeza que para atingir este nível é necessário um treino intensivo de muitos anos... fantástico!”. Eles pareciam mesmo aqueles comentadoes desportivos que comentam a patinagem no gelo, e a ginástica. Era preciso um grande esforço da minha parte para não me partir a rir e entornar tudo o que já tinha posto na microplaca. Quem não estava muito contente com isto era o profe, que é louco mas na minha aula costuma ser calmo, nesta ele mandou-nos um par de berros como eu já não ouvia há algum tempo :\ daqueles mesmo que fazem paralizar todo o movimento na sala e estampar um olhar de horror em todos os alunos. Eu tentava estar sempre a pipetar coisas quando o profe olhava para mim, para ele me ver realmente a fazer alguma coisa por mim abaixo, mas quando eu estava a trabalhar o demónio do homem ou saía da sala ou olhava para o lado... Só se punha a olhar para mim quando eu estava a conversar ou a quando estava para lá sem fazer nada :\ Damn it! Mas há muito tempo que não me divertia tanto numa aula de laboratório :) Tínhamos uma aula às 11h30 à qual eu não ia desde que mudou de profe. No início do semestre era um profe porreiro, não dava seca nas aulas e tornava a matéria interessante. Depois apareceu o terror, que é uma profe que já me deu Ecologia o semestre passado, e a mulher é a coisa mais aborrecida à face da Terra. As aulas com ela arrastam-se, os acetatos que ela usa são todos repetidos do ano passado, não sei explicar, é mesmo muito secante. Um belo dia entrei eu no anfiteatro, à espera que começasse a aula com o profe, e entra ela por ali dentro e anuncia que vai ser ela a dar as próximas 11 aulas, ou coisa que o valha... Eu devo ter ficado pálida como um fantasma, e ainda me passou pela cabeça levantar-me e fugir, mas já toda a gente estava sentada (se bem que a entreolhar-se com expressões de receio) e desisti. Uma hora e meia que mais pareceu uma cena do inferno de Dante, e mal a aula acabou eu literalmente corri para fora da sala e jurei não pôr mais lá os pés durante as 10 aulas seguintes. Voltando a terça-feira, não sei o que me deu mas apeteceu-me ir à aula. Ocupamos a última fila do anfiteatro, eu fiquei no ao lado do Vício e do Mike, que também estavam um bocado hiperactivos. Ao meio-dia começaram a tocar os sinos da Torre dos Clérigos, e como era meio dia aquilo repetiu a musiquinha 12 vezes, e o Mike a meio da melodia começou a cantarolar igual aos sinos! Eu contorcia-me na cadeira, prestes a rebentar a rir, mas ele não parava. Mal eu pensava que a música ia acabar, começava de novo, e lá se virava ele para mim a cantarolar a porcaria da música. Eu já limpava as lágrimas dos olhos e ele não tinha piedade, quanto mais eu me ria mais ele começava “Tararantan tantaran tiritantaran Taratinririram” a fazer mesmo cara de gozo... Que sofrimento. Eu julguei que ia rebentar a rir xD Isto é uma coisa mesmo estúpida, mas assim a meio da aula deu-me uma vontade de rir doida e soube mesmo bem rir assim ^_^ Depois o Citrus passou-nos um papel com um jogo estilo aqueles inquéritos que se faziam na primária todos estúpidos... Nem sei explicar como era... Enfim, estive a preencher aquilo com a ajuda do Vício e do Mike e também foi uma galhofa... Ao menos nós estávamos divertidos, o resto do pessoal parecia zombificado. Uma colega nossa que estava na fila à nossa frente chegou mesmo a adormecer lol :D Foi o Citrus que lhe deu um toque para ela acordar, não fosse a profe dar conta. É que desde que é ela a dar as aulas, o número de alunos na sala reduziu-se para aí para metade ou um terço, por isso quando alguém adormece é mais fácil para a profe dar conta :\ O almoço foi porreiro, como sempre, embora seja sempre chato eu comer a correr, porque só tenho 1 hora de almoço e tenho de ir para o Campo Alegre, e os autocarros nesta cidade nunca se sabe muito bem com o que se pode contar. Aulinha de Fisiologia Vegetal prática, lá andamos para trás e para a frente com umas plantinhas durante uma hora e meia e pronto. Esta é mais uma aula em que a maior parte é tudo povo dos anos mais avançados, praticamente só o meu grupo é que é do 3º :\ E mesmo os colegas do meu grupo são daqueles que eu nunca cheguei a conhecer muito bem, e embora eles sejam porreiros, eu costumo estar mal-disposta nesta aula e portanto eles devem pensar que eu sou um bocado esquisita :P Tive uma hora de intervalo, como sempre, entre essa aula e a minha seguinte, voltei para os Leões e fui ter com o Mike e a Elsa ao bar; eles tinham tido a aula que eu ia ter a seguir às 14h e saíram uma hora e meia mais cedo, e isso deixou-me logo animada, que eu quero é sair mais cedo das aulas :D Também estavam lá as Pontas, que são um grupo de colegas nossas que andam sempre juntas e que são da minha turma de Ecologia e Conservação do Meio Ambiente – que era a aula que eu ia ter a seguir. Foi um bocado bem passado (mais um, e tudo no mesmo dia! Amazing...). A aula foi curtinha e porreira, o profe que deu esta aula e a da semana passada é mesmo curtido. Sabe explicar as coisas, e põe o pessoal muito à vontade, diz a sua piada de vez em quando e despacha a aula em pouco tempo. Na quarta não aconteceu nada de mais, a não ser o pequeno ataque de loucura que me deu na última aula do dia, uma aula prática de Histofisiologia Animal na qual após ter estado quase a adormecer, sofri uma transformação e comecei a rir-me estupidamente de todas as pequenas coisas. Parecia levemente embriagada :\ Eu olhava para as preparações de estômago e desfazia-me a rir. Claro que me esforçava para a profe não me ver (o que é um bocado dificil quando a se tem uma profe meia mirolha, nunca se sabe ao certo para onde ela está a olhar :\), mas o Citrus, essa diabólica criatura, fazia os possíveis para me enterrar. Virava-se para mim: “Ó Nakamura, anda lá com essa preparação, quero-me ir embora, despacha-te!” e eu “Pronto, já está, arruma lá com isso para o lado”, e no segundo a seguir, quando a profe estava estrategicamente a passar atrás de nós, voltava ele: “Ó Nakamura, então tiraste a preparação? Era para vermos os vasos sanguíneos nas ilhotas de Langerhans” e eu ficava doida, e dizia quase a raiar o histerismo “Mas não te queres ir embora?? Qual vasos sanguíneos qual quê já está tudo visto!! Toca a despachar para sairmos mais cedo!” e a profe a olhar para mim com ar de desaprovação e o Citrus a desmanchar-se de riso. Se eu não tiver boa nota a esta cadeira a culpa é dele, por me fazer cair nas más graças da professora >=( Quinta feira foi o dia de ter Química (argh). Felizmente na minha turma até está pessoal porreiro e até não é tão insuportável assim. Não tive teórico-prática, o que foi uma alegria para mim – e para todos :P – fui apanhar o bus, liguei à M&Ms a avisar que não tinha tido aula e fui ter com ela ao world famous ICBAS (não sabem o que é? Deviam saber... é world famous... ou não lol). Não cheguei a entrar lá dentro, mas para a próxima entro e vou tentar perder-me algures por lá, ouvi umas histórias muito mórbidas que envolviam cadáveres e partes do corpo humano dentro de bacias em salas do ICBAS. Nada fora do vulgar, aquilo é ao pé do Instituto de medicina Legal, mas deve ser muito mais fixe andar lá dentro com aquele perigo constante de se entrar numa sala de autópsias do que andar nos Leões, onde para termos um pingo de emoção temos de inventar histórias sobre as catacumbas que aquilo tem. É um edifício bastante creepy, com uma atmosfera semelhante ao daqueles hospitais psiquiátricos antigos que se vê nos filmes, eu estou sempre à espera que me salte ao caminho um pequeno corcunda feio e esbugalhado, envergando uma bata, chamado Igor. É interessante ter aulas num sítio assim, mas como disse, no ICBAS ainda deve ser mais. Portanto encontrei-me com a M&Ms e viemos juntas para a terrinha de comboio. Tínhamos combinado com a Litha ir ver o “Wimbledon” (eu pela 2ª vez... o que eu não faço pelas minhas manas :P), uma vez que era obrigatório vermos o filme com a M&Ms e a Litha vai estar ocupada nos próximos fins de semana, pelo que não ia poder noutra altura próxima. A M&Ms andava carregada com um livro de Bioquímica (o seu Lenningerzinho lol) que pesava para aí uns 7 quilos, aquilo era um calhamaço que eu nem digo nada :\ Eu tenho uns quantos livros assim, mas não costumo andar a passeá-los debaixo do braço, afinal tenho amor à minha coluna a aos meus pobres braços. Ofereci-me não sei quantas vezes para a ajudar a levar o livro, mas ela parecia ter mais amor ao livro do que à própria vida e só em circunstâncias muito especiais me deixou pegar nele, e mesmo assim teve de me deixar com a recomendação de proteger o Lenninger com todo o meu ânimo. Quando chegamos ao shopping ainda era cedo e a Litha ainda não tinha chegado, por isso fomos fazer a coisa lógica, que é: ir ao Continente fazer compras.

Monday, October 25, 2004

What to do when your life starts sucking really hard (or at least so it seems to you)


If only I knew... *sigh*
Este Domingo foi completamente miserável. Mau. Terrível. Fiquei um farrapo. Se eu já não andava muito animada, então ontem a pouca alegria que tinha esvaiu-se. Saí de casa, onde já não me estava a sentir bem nem à lei da bala, e fui para casa da Litha, onde fiquei sentada como um mono enquanto ela se esticava em tentativas e tentativas para me animar. Comecei-me a sentir um bocado como um empecilho, porque a rapariga tinha cadernos para passar a limpo e eu estava-lhe a atrasar a vida - claro que ela não disse nada, mas eu vi as coisas todas espalhadas pela mesa da sala fora - e não atava nem desatava. Eu sou mesmo esquisita. Ao ir lá, estava cheia de vontade de desabafar, de dizer cobras e lagartos do que se passava à minha volta, sobre a minha existência quase vazia, sobre todas as razões porque tem sido difícil encontrar-me de sorriso na cara (que muitas delas nem eu sei quais são...), mas quando cheguei não consegui falar. Tinha um nó na garganta, e por isso fiquei assim feita mona até ao momento em que tive de ir embora, umas horas mais tarde, em que me debulhei em lágrimas para cima dela e depois é que não disse mesmo nada de jeito (uma pessoa quando está a chorar baba e ranho tem de fazer um esforço do carças para respirar, quanto mais para falar :\ para mim é quase impossível...). Sometimes all we need is a shoulder to cry on. No momento não me senti melhor (porque tive de ir embora quando preferia ter ficado, e porque estava com medo de enfrentar a tempestade que eu sabia que havia de vir logo que chegasse ao carro dos meus pais), mas depois percebi que às vezes é mesmo muito necessário chorar, alivia muito. E tenho muita sorte em ter alguém que me ature e que me apoie nestes momentos. Enfim, depois tive de ir para os anos do meu tio, no meio de um ambiente familiar mesmo agradável (NOT), e toda a gente comentava em como eu estava amarelada e abatida, e uma tia minha até me foi tirar a febre lol Eu desculpei-me com a história do dente, mas não sei se acreditaram muito, porque ao longo da noite foi o que se ouviu mais, conversas sobre o meu mau aspecto :P Muito giro. A minha disposição até melhorou, estive com a minha prima Xoph e consegui espairecer um bocadinho, mas depois de chegar a casa foi outra vez mau. A Litha ligou-me a perguntar se eu estava melhor, mas nem sabia o que lhe dizer, disse que estava um bocado melhor, para não a preocupar e também porque até estava, ter estado com ela e depois com a minha prima ajudaram um pouco, mas quando estou sozinha custa mais... Hoje de manhã acordei, com os olhos tão inchados que parecia uma espécie de mutante qualquer lol e a minha vontade era de não pôr os pés na faculdade, esse sítio onde abomino todas as aulas que tenho, mas o que tem de ser tem muita força e por isso lá fui eu. No caminho, estive a ouvir o CD novo dos Sum 41, "Chuck". Depois de ouvir 2 vezes, tenho de dizer que não é lá grande coisa, embora seja audível. Tem músicas que entram no ouvido, outras nem por isso, mas no todo não é nada de especial. No entanto, ouvi uma música que me entrou logo na cabeça, era muito pequena, mas a letra é assim:
"I'm slippin' away
In every way
I can't stay (and I don't know why) awake
I'm slippin' (and I don't know why) away
But tryin' to make it through each day
I'm fallin apart now in every way
I'm findin' it harder to get by
Theres a hole in my heart
And, I dont know why
Now I've come to realize
I'm slippin' away"
Cheguei atrasada à primeira aula, por isso tive de ir para as últimas filas do anfiteatro, onde passei uma parte da aula a rabiscar no caderno (uma coisa boa em estar assim nas últimas filas é que posso rabiscar à vontade, sem ter os colegas do lado a olharem por cima do meu ombro, porque isso é uma coisa que me intimida um bocado e assim não consigo desenhar lol estando mais sozinha já não há problema). Depois reuni-me com os meus college buddies Citrus, Mike, Vício, Porphyra e Timli, fomos comer qualquer coisa ao bar, onde eles me fizeram uma proposta indecente. Eles queriam ir ao cinema hoje à tarde, mas oh maldição do destino, eu tinha uma aula prática. Eles aliciaram-me a faltar e convenceram-me a compensar a aula amanhã de manhã - o que significa que vou ter de me levantar às *gulp* 6h30 da manhã... O Citrus achou-me muito estranha e insistiu muito para eu ir, porque ia-me fazer bem. Eu estava-me a sentir tão mal que se calhar ter aquela aula dava cabo de mim, por isso pensei "What the heck!" e fui mesmo. A caminho do carro da Porphyra, falei um bocado com o Citrus e isso fez-me sentir melhor. No carro, fomos a curtir um som todo estúpido, a ouvirmos a música do D'artacão e uma música qualquer das Doce em altos berros e com as janelas abertas... :\ Deixamos a Timli perto dos Leões (ela não queria perder uma teórica que íamos ter à tarde) e seguimos para o NorteShopping, esse local de culto (ou não), onde descobrimos que o Wimbledon - ó único filme em que toda a gente concordava mais ou menos em ir ver - tinha uma sessão às 13h40. Ainda dava para ir à Fnac dar a voltinha da praxe, comer e tudo com tempo. Ir à Fnac é desesperante porque toda a gente vê coisas que quer comprar, mas nós, como bons estudantes, andamos sempre sem dinheiro, e portanto nada feito, nada para ninguém, só nos babamos em frente às coisas. Depois destas andanças pelo shopping e do almoço comido, foi altura de entrarmos para vermos:

Sinceramente, o filme é engraçadito. É leve, que era o que eu precisava, tem os seus momentos de humor, e não é que eu perceba muito de ténis mas as cenas até estão bem feitas. Na banda sonora está uma música que eu adoro e que é da banda sonora do Crazy/Beautiful um filme do qual falei há pouco tempo, também com a Kirsten Dunst. É do David Gray e é linda, só que cada vez que a ouço fico fragilizada :P por isso quando a comecei a ouvir no filme... Bem, bem.
This year's love
"This years love had better last
Heaven knows it's high time
And I've been waiting on my own too long
But when you hold me like you do
It feels so right
I start to forget
How my heart gets torn
When that hurt gets thrown
Feeling like you can't go on
Turning circles when time again
It cuts like a knife oh yeah
If you love me got to know for sure
Cos it takes something more this time
Than sweet sweet lies
Before I open up my arms and fall
Losing all control
Every dream inside my soul
And when you kiss me
On that midnight street
Sweep me off my feet
Singing ain't this life so sweet
This years love had better last
This years love had better last
So whose to worry
If our hearts get torn
When that hurt gets thrown
Don't you know this life goes on
And won't you kiss me
On that midnight street
Sweep me off my feet
Singing ain't this life so sweet
This years love had better last
This years love had better last
This years love had better last
This years love had better last "
It means a lot to me. Quase saí do filme a gostar de ténis ^_^ O Citrus, que adora ténis e também é jogador aos fins de semana, também gostou muito, e até o Vício gostou, por isso se quiserem ver um filme levezinho e despreocupado, não perdem nada em ver este. Eu quase de certeza que vou ter de o ir ver outra vez por causa da M&Ms - a maior tenista portuguesa ;) Voltando ao filme, as interpretações são boas, gostei do Paul Bettany e da Kirsten Dunst também e até achei que tinham química como par romântico. Voltei-me a assustar com a semelhança que eu encontro entre a Kirsten Dunst e a Litha :P Não em todos os filmes, mas a maior parte das vezes até me mete medo. É como se nos Estados Unidos houvesse uma "cópia" loira (e às vezes com olhos de carneiro mal morto :P) da minha mana. É muito estranho. Well, bottom line is, o filme é castiço e gostei de o ver. Animou-me. Ainda me ri à brava algumas vezes, valeu a pena :) Quando viemos embora, recusei a boleia da Porphyra, preferi apanhar o metro e depois vir para casa de autocarro para espairecer as ideias, embora estivesse a chover. Apanhei o metro com o Citrus e o Vício, que não conseguia validar o cartão dele, então lembrou-se de que tinha deitado o recibo da viagem ao lixo e pôs-se a vasculhar no lixo à procura dele lol Entretanto como o metro estava a chegar, ele apanhou 3 ou 4 recibos e levou-os para dentro do metro para ver qual era o dele lol eu e o Citrus só nos ríamos. Por acaso um daqueles calhou de ser o dele, mas acabou por não aparecer o revisor lol andou o rapaz a revolver o lixo para nada. Saí na paragem do Citrus, fui com ele até casa e agora cá estou, em casa, a tentar não me sentir demasiado deprimida mas não sei o que fazer para evitar isso. Any thoughts?

Saturday, October 23, 2004

Antes do Amanhecer

Estava aqui eu, uma estudiosa dedicada, com o meu belo livro "Organic and Biochemistry: connecting chemistry to your life" à frente, a estudar como uma nerd qualquer no fim-de-semana, quando me apeteceu fazer um intervalinho para vir aqui postar.
Ontem à noite a Litha, o rigormortis e a M&Ms vieram cá jantar para passarmos algum tempo juntos e vermos um filme a seguir ao jantar: era o "Antes do amanhecer", que a Litha trouxe porque eu lhe pedi (nunca tinha visto :P) e porque já estamos a preparar-nos para ir ver a sequela - pelo menos eu e a Litha, a M&Ms está mais com vontade de ir ver o "Wimbledon" (só porque é sobre ténis) e o rigormortis, no fim de ver este, declarou que nunca na vida poria os pés numa sala de cinema para ver a sequela deste filme.

Para o rigormortis ver este filme, tivemos de o enganar e dizer que era um filme de terror, é claro que bastaram 5 minutos de filme para ele se aperceber em que é que o tínhamos metido e passou a próxima hora e meia a lamentar-se e a miar, o que se tornava estranho, porque de vez em quando eu ouvia um barulho esquisito e não conseguia identificar de onde vinha, só passados momentos é que me apercebia que era o rigormortis a miar baixinho. Cheguei a ter pena dele, porque realmente sei o que é sermos "forçados" a ver filmes dos quais não gostamos, embora a maior parte das vezes me esforce por manter uma mente aberta e não rejeitar (quase) nada à partida. Por acaso até gostei do filme, não foi assim nada em grande mas achei original e os diálogos estavam muito bem feitos, pareciam mesmo conversas fluidas, naturais. Em breve devo estar a ir ver o "Before Sunset". Também tenho de ver "O Exorcista - O princípio" (me loves the exorcist, é claro que as expectativas para este não são muito altas, só que mesmo assim, se tem a palavra "Exorcista" no título, eu tenho de ver) e o "Wimbledon", por causa da M&Ms (vai ser demais, até quero ver se ela tem coragem de dizer mal de um filme sobre ténis, se não gostar do filme ^_^ou então a criticar as partes técnicas lol), e "Os diários de Che Guevara"... Muito filme. E já começamos a entrar naquela altura do ano em que é complicado arranjar um dia em que toda a gente possa sair, normalmente sou sempre eu a combinar tudo e tenho de agradar a gregos e a troianos :P é muito stressante, mas como é pelo bem da comunidade, esforço-me o mais que posso ^_^ A Litha ainda não tinha visto o meu piercing e ficou toda maluca, curtiu mesmo à brava e já me pediu para ir com ela ao sítio onde fiz o meu para ela também fazer um. Isso e para ir a casa dela ver um DVD que ela tem sobre o festival de Woodstock lol So much to do, and so little time... Não da minha parte, porque eu tenho sempre tempo para toda a gente, mas de resto são todos muito ocupados :P
O meu dente (ou melhor, o meu espaço sem dente) já está melhor, hehehe.

Switchfoot
Meant To Live
Fumbling his confidence
And wondering why the world has passed him by
Hoping that he's meant for more than arguments
And failed attempts to fly, fly
We were meant to live for so much more
Have we lost ourselves?
Somewhere we live inside
Somewhere we live inside
We were meant to live for so much more
Have we lost ourselves?
Somewhere we live inside
Dreaming about providence
And whether mice or men have second tries
Maybe we've been livin with our eyes half open
Maybe we're bent and broken, broken
We were meant to live for so much more
Have we lost ourselves?
Somewhere we live inside
Somewhere we live inside
We were meant to live for so much more
Have we lost ourselves?
Somewhere we live inside
We want more than this world's got to offer
We want more than this world's got to offer
We want more than the wars of our fathers
And everything inside screams for second life
We were meant to live for so much more
Have we lost ourselves?
We were meant to live for so much more
Have we lost ourselves?
We were meant to live for so much more
Have we lost ourselves?
We were meant to live
We were meant to live
I think I was meant to live for more, I just don't know what...

Friday, October 22, 2004

Paaaaaain!

Apesar das minha esperanças em contrário, as estatísticas estavam certas. O dente do siso que tantos problemas me tinha causado teve mesmo de saltar fora : Cheguei ao consultório do dentista com o coração quase na garganta - acho que já referi o terror de dentistas que tenho - mas ainda com uma pequena esperança de que não tivesse de tirar o dente. Sentei-me lá na cadeira da tortura, o médico perguntou-me como é que eu estava, se tinha melhorado, e eu pus-me a falar quando reparo que ele está a pôr a máscara. "Mau", pensei eu. Depois reparei que ele estava a calçar as luvas e a mandar a enfermeira preparar a anestesia. Começou a baixar a cadeira até eu ficar numa posição ligeiramente desconfortável (por estar com a cabeça muito para baixo),e aí eu, ainda não acreditando no que parecia ir acontecer, disse com o ar mais inocente que consegui "Posso perguntar o que é que me vai fazer?", o médico olhou para mim com um ar de quem acha que é bastante óbvio o que se vai passar, mas lá me disse "Vou-te tirar o dente". Pânico. O meu coração parecia que ia saltar a qualquer momento. Não me sentia preparada para enfrentar nem sequer uma ínfima quantidade de dor quanto mais a dor de arrancar um dente, e parecia uma criancinha a perguntar se ia doer muito :P The shame. Felizmente, este médico é competente, ao contrário do meu anterior dentista que era o que se pode chamar de carniceiro, esfrangalhava-me sempre os dentes e ainda me levava dinheiro por aquelas sessões de tortura. Muahahahahaa but I shall not return there!! Deram-me 2 anestesias e depois aquilo foi um instante, o dente não fez muita resistência e veio logo fora. Depois de dados uns pontinhos (que para mim foi a parte mais esquisita), lá vim embora, a trincar uma compressa e com a cara toda dormente. Depois lá fui ao Continente comprar uns iogurtes líquidos para me alimentar durante o dia de hoje, com a preocupação constante de que me podia estar a babar e não estar a sentir (defeitos da anestesia... :P) e estar a fazer figura de demente à frente das outras pessoas. Agora, os efeitos da anestesia estão a passar e o que eu sinto é dor. Dor. A dor que não tive enquanto o médico me arrancou o dente (continuo surpreendida com a rapidez que aquilo foi) estou a ter agora :( Dói tanto *snif snif* E além disso tenho a boca a saber a sangue :P Quase me sinto estilo vampira, sempre com o sabor do sangue na boca. A dooooooor :(

Monday, October 18, 2004

+0(

A maldita dor de dentes é uma carga de trabalhos. Desde quinta-feira que estou em sofrimento por causa de um idiota dente do siso, que decidiu (já depois de estar meio de fora) armar-se em estúpido e criar uma infecção. Desde quinta feira que não durmo nem como em condições - claro que isso não me impediu de ir ao cinema ver o Resident Evil na sexta (algo que espero discutri noutro post, porque agora estou com um bocado de pressa :\) - e sábado passei o dia com um acumulador gelado embrulhado numa toalha e com aquilo agarrado à cara. A dor. A dor. Quase implorei à minha mãe que me encharcasse em analgésicos, mas a minha mãe, em vez de fazer isso, telefonou ao dentista. Existe um pequeno pormenor: eu tenho pânico, horror, terror de dentistas. Muito me admiro de nunca ter caído para o lado ao me sentar naquelas cadeiras reminescentes da tortura medieval. Portanto não fiquei muito contente quando a minha mãe telefonou, limitei-me a guinchar "Mas mãe, eu só quero comprimidos, DÁ-ME COMPRIMIDOS buaaaaaaaaah a dor, a dor, a dor, a dor, a dor, a dor, a dor, a dor!!!". Já não havia hora para eu ir naquele dia ao médico, mas indicaram um antibiótico para eu tomar e marcaram-me consulta para hoje de manhã. Lá se foi arranjar o antibiótico, que são uns comprimidos que parecem uns foguetões, são gigantescos, é uma boa forma de curar a dor de dentes: a pessoa sufoca com o comprimido entalado na garganta e está feito. Ainda por cima têm montes de efeitos secundários, como náuseas, vómitos, dores de estômago, daquelas cenas que para curar uma coisas põe os outros sistemas todos avariados. O fim de semana lá passou, com mais dor ou menos dor, e hoje lá fui eu à consulta (depois de me ter levantado enjoada que nem um cão e de ter vomitado passada 1 hora, graças ao antibiótico). O médico era muito simpático, mas era um *dentista* (shivers). Detesto dentistas. Odeio sentar-me naquela cadeira horrível. Odeio. E aquelas brocas ali ao penduro mesmo à beira da nossa cara :\ Puros instrumentos de tortura. O senhor não me fez nada, enfiou aquele espelhinho na minha boca para ver e disse que realmente aquilo estava com mau aspecto e que tinha uma infecção mais ou menos. Receitou-me outro antibiótico menos agressivo que o que eu estava a tomar antes e mais uns pain killers e marcou outra consulta para sexta feira (bye bye aula prática de BDV), para além de me ter mandado fazer um raio-X. Agora estou em pânico porque ele disse que se se visse que o dente não tinha espaço para nascer tinha que vir fora :\ Eu tenho esperança que isso não aconteça, até porque o dente já está um bocado nascido, e além disso quero ter planos para o fim de semana, não quero estar com um dente a menos e sem poder ir jantar fora... Desejem-me sorte - ah, e já agora as melhoras! :P

Saturday, October 16, 2004

Friday, October 15, 2004

Fim de semana!

Devo dizer que esta foi a primeira semana em que fui às aulas todos os dias. Dei algumas faltas a teóricas, mas consegui não faltar a nenhuma prática - também se continuasse a palhaçada de eu faltar às práticas, já não durava muito este semestre. Para a semana tenho é de ver se vou a uma aula, pelo menos, de Biologia do Desenvolvimento Vegetal, porque ainda não fui a nenhuma e isso pesa-me na consciência :\ As aulas não passaram tão mal como isso (uma seca, mas sobrevive-se), só as aulas práticas é que são ligeiramente perturbadoras pelo simples facto de que, em todas as minhas turmas excepto Ecologia e Conservação do Meio Ambiente a grande maioria dos alunos são do 4º ano ou mais... tudo a repetir as cadeiras... o que não é de bom agoiro. Tenho de ver se me forço mais a estudar, porque por causa do meu belo e lindo horário (ou não), chego a casa tarde e a más horas e não tenho vontade nenhuma de pegar na matéria, e ao fim de semana pra mim é pra descontrair, não para andar de roda dos livros... Mas vai ter de ser, isto se não quero perder o comboio.
Ontem fui fazer um piercing ^_^ Hehehe. A Porphyra, o Citrus, o Vício e o Prep acompanharam-me - faltamos a uma aula T___T - e depois fomos almoçar à Pizza Hut. Enfradamo-nos de pizza e de pão de alho, ao fim foi um problema para nos levantarmos, mas aquelas pizzas são tão boas, cheias de queijo... Nham. Para mim foi um bocado chato apreciá-las em condições, porque desde ontem de manhã que estou com umas dores nos dentes do siso que nem posso. Ontem mal acordei foi aspirina para cima, tive de tomar um Momendol a meio da tarde, geltilmente cedido pela Porphyra (isto porque estava prestes a colapsar de dor a meio de uma teórico-prática de Química) e quando cheguei a casa já vinha meia cega e só queria achar as aspirinas. Depois fui à farmácia e trouxe de lá uns comprimidos quaisquer, só que era suposto desinflamarem a gengiva e ainda não vejo nada :\ Dores nos dentes é uma porcaria. Enfim, hoje vou ver o Resident EVil: Apocalipse (weeeeeeeeeeeeeeeeee!)
Vai ser um bom início de fim de semana ;)

Wednesday, October 13, 2004

Constantly talking isn't necessarily communicating

Praise XTG-san! Graças ao XTG, vi um dos filmes mais interessantes dos últimos tempos:

E pensar que esta pérola andava aqui perdida por casa... Shame on me. Que filme fantástico... Foi preciso insitir comigo para eu ver lol
Loved it
Loved it
Loved it
Loved it... Vou tentar fazer uma nova sessão do filme para a semana que vem, mas desta vez quero ver se arranjo companhia :P

Monday, October 11, 2004

E viva a Camposa...

... ou não :P Mas já lá vamos. Sábado foi o tal jantar de anos, e eu pensei que só ia eu e o rigormortis assim de povo conhecido, felizmente tive uma surpresa quase à última da hora quando a Litha me ligou ao sair do ballet a dizer que também ia ao jantar :) Veio ter a minha casa e daí a pouco o rigormortis veio buscar-nos. Quanto ao jantar não houve muito que se lhe diga, estava lá um amigo nosso da Secundária, mais uma grande amiga da Litha, e basicamente era esse o people que conhecíamos. E ao todo eram para aí umas 30 pessoas :P Mais ou menos a meio do jantar, começamos a ficar todos um bocado animaditos, e aquilo começou a ficar um ambiente demais, muito curtido! A Litha a pregar as suas típicas partidas a toda a gente, tudo muito fixe, excepto uma discussão que eu e o rigormortis tivemos com a Litha por causa da nossa ideia de darmos a bíblia de satanás a alguém: ela acha que não se brinca com essas coisas, e deu-nos um sermão jeitoso, disse que por ela até podíamos oferecer sacos de vomitado a quem quiséssemos, agora brincar com coisas sérias não. Entretanto chegou outro colega nosso da Secundária, a Litha entreteve-se a contar-lhe mentiras, a dizer que eu e o rigormortis namorávamos, mas foi tão subtil que nós percebemos logo que ela estava a enganar o rapaz a dizer-lhe isso, por isso partimo-nos a rir quando ele vem para a nossa beira cheio de sorrisos dengosos, a desejar felicidades e não sei quê. It was funny ^_^ Para ser mais rápido, vai tipo acta o que se seguiu:
- A Litha decidiu que queria ir dormir a minha casa, eu fiquei contente;
- O rigormortis decidiu que nos queria levar a ver a Camposa (uma zona de Alfena supostamente mal frequentada mas que à noite ninguém lá pára);
- A Litha concordou imediatamente.
- Depois de bolo e champanhe, metemo-nos no carro, levamos a amiga da Litha a casa e ala para a Camposa.
- Litha começou a ficar nervosa: são imaginados diversos cenários, como termos um furo em plena Camposa e sermos assassinados por maníacos com navalhas (não é com machados, porque nós por cá não temos desses) ou ficarmos sem gasolina e sermos assassinados por maníacos com navalhas (basicamente todos os cenários envolviam maníacos com navalhas).
- Decidimos parar para meter gasolina.
- Passamos por uma bomba : fechada.
- Passamos por uma segunda bomba: fechada. O nervosismo alastra-se até mim.
- Terceira bomba: aberta. Paramos. Litha tenta snifar a tampa do depósito da gasolina do carro. Rigormortis tenta perceber o funcionamento da bomba.
- Litha põe a cabeça de fora da janela do carro e começa a dizer disparates.
- Rigormortis acaba de encher o depósito, e guia-nos de volta à estrada.
- Estrada fica cada vez mais escura à medida que avançamos. O número de casas também diminui.
- Rigormortis pára o carro. Litha sai e dá um berro digno de filme de terror, apenas porque lhe apetece, e estamos num sítio tão isolado que ninguém ouve.
- Continuamos a nossa demanda. As casas são todas substituídas por mato cerrado de ambos os lados da estrada.
- Chegamos à Camposa. O sítio é assustador. Não tem iluminação, e o mato é escuro e horripilante. Parece o cenário do filme Dead End, e nós começamos a parecer meios parvos e a ficarmos aterrorizados no carro, a imaginar a quantidade de coisas horríveis que podiam acontecer ali.
- Vejo uma retrete no meio do mato. Aquilo corta o espírito da coisa, desato-me a rir, e de repente já não mete assim tanto medo.
- Chegamos ao fim da Camposa, damos a volta e voltamos para trás pelo mesmo caminho. À segunda já não mete medo quase nenhum, mas mesmo assim é inquietante.
- Chegamos ao fim da Camposa e partimo-nos a rir :D
- Discutimos o quão aterrorizador aquilo foi. Recordamos uma situação semelhante que passamos em Ovar. Voltamos-nos a rir :D
- Ficamos um bocado em casa do rigormortis, brincamos com a Musashi (uma das cadelas dele) e vimos cenas no pc dele (ele e a Litha todos malucos a verem cenas do “Trinitá, o cowboy insolente”, um filme ao qual ,eu confesso, não acho piada nenhuma) e lá para as 3h ele veio-nos trazer a minha casa. A Litha ficou cá, estivemos na conversa até às tantas, dormimos (eu não muito bem graças a um maldito carro que estava estacionado em frente a minha casa e que a certa altura da noite (ou manhã) começou a tocar a bosta do alarme de 15 em 15 minutos *rrrrrrrr*), levantamo-nos também às tantas (a nossa rotina “CRISP-X, breakfast is back”, como gostamos de lhe chamar lol e há que tempos não fazíamos isso) comemos qualquer cena,e depois a Litha insistiu para vermos isto:

Eu gosto deste filme, admito. É por isso que o tenho :P Mas para mim este filme é terrível, porque os meus pobres olhos parecem torneiras quando o vejo, dá para a choradeira como tudo, e com poucos filmes me acontece isto. However, neste, eu sei exactamente as razões por que isso me acontece. Traz algumas recordações bastante más. Mesmo asism, vimos (a Litha insistiu que o meu irmão também visse, mas a pobre criatura não gostou muito do filme, achou-o lamechas e com pouca acção lolol), houve alguma choradeira saudável e muita emoção (coitado do meu irmão, a ver uma chick flick lol), e depois a Litha foi embora, deixando-me a mim e ao meu irmão sozinhos em casa, a apanhar grande seca. Ainda telefonei à M&Ms, que andou desaparecida do mapa durante o fim-de-semana, para ver se ela queria passar lá por casa, mas guess what, ela andava às voltas a preparar as suas aulas de laboratório, e portanto nada feito. Fui alugar um moobizito, já que estava a precisar de me rir (isto de eu me pôr a ver filmes deprimentes quando ando assim não é muito boa ideia, embora desta vez tenha sido uma experiência muito gratificante),e o meu irmão quis alugar o “Austin Powers in Goldmember”. Tudo bem comigo, era uma comédia, tass bem, viu-se na boa, teve os seus momentos, mas digo-vos já me estava a passar de estar sozinha em casa, fez-me falta a companhia, e se a Litha não tivesse estado comigo, tinha sido muito mau. Ainda bem que ela me salva assim quando eu preciso :)<>
Hoje lá fui para as aulas, depois de quase 2 semanas sem pôr os pés na faculdade, e veio ao de cima toda a vergonha da cena da bebdeira, desgraçadamente toda a gente se lembrava lol Quem me dera que tivessem esquecido, mas não! Eu e o Tone (que daqui para a frente vou-lhe mudar o nome para Citrus, porque é isso que lhe chamo a maior parte do tempo) fomos bem gozados hoje... Tomara, as figurinhas lindas que fizemos... :\ Mesmo assim, fui a todas as aulas hoje (menos à teorica de química, isso não é uma aula mas sim um antro de tortura psicológica), aprendi coisas tão relevantes como o funcionamento de uma ETAR – e também que o meu professor acha que as ETARs são um alvo ideal para atentados. Encontrei a M&Ms na fila para a reprografia, pronta a emergir-se em fotocópias, de certeza lol Eu também tinha de ir lá tirar umas cenas, mas a fila estava tão grande que desisti... Anyway, foi porreiro vê-la, pena termos falado pouco tempo.
A aula de microbiologia ambiental prática foi alto secanço, eu e a minha colega de laboratório queríamos sair mais cedo mas não deu, a aula passa super devagar, ainda por cima só temos 1 centrifugadora e dois espectofotómetros (um dele que de certeza que é, no mínimo, dos anos 50) para uma turma inteira. E tivemos de estar a fingir que fazíamos um gráfico chatíssimo, porque ninguém sabia exactamente de que é que era o gráfico. Muito construtivo. A meio da aula pedi licença a profe para ir à casa de banho e fui ligar à Litha, foi a 1ª vez que fiz isto, mas ainda bem que o fiz, senao ia estar a stressar o resto da aula toda :P Ao menos saímos a horas, e não meia hora mais tarde como na última aula. Bem, ainda tenho uma semana inteira pela frente! E com práticas de Química!! Argh *bangs head on keyboard* Tenho sorte de estar na turma da Porphyra, senão era mesmo uma cena para chumbar por faltas, aquilo é horripilante.
Bem , se for esse o caso boas aulas para vocês, força aí que eu por cá também tento sobreviver!

Friday, October 08, 2004

Ukurrale

Para aqueles de vocês que gostam de música de qualidade, na onda de Comme Restus e coisas do género, aconselho-vos a não perderem esta extraordinária banda, Ukurrale. Com letras bem originais e bastante emoção, e melodias harmoniosas como já não se ouviam desde os tempos de Bach, esta banda promete muito ao panorama musical nacional actual (desculpam lá, mas esta frase é de génio :P). Ou então não. Se calhar só é boa para se ouvir quando estivermos precisados de um sorriso lol No fim do post, está prometida a letra de uma das música. Ora quem é que me poderia introduzir a uma coisa destas? Só podia ser o rigormortis. Temos uma amiga nossa que faz amanhã o seu jantar de anos, e portanto tivemos de ir hoje arranjar uma prenda qualquer para não parecer mal. Há uma semana estávamos bastante mais preocupados, porque ia ser o aniversário da M&Ms e precisávamos desesperadamente da melhor prenda do mundo, e íamos ter de comprá-la sozinhos, sem a ajuda de mais ninguém - e deixem-me que vos diga que nós somos muito engraçados a comprar prendas. Uma célebre altura, uma colega nossa fez anos, e toda a gente empurrou a tarefa de comprar a prenda para cima de nós. Então nós, como forma de protesto (ou não, foi mesmo só porque nos deu na cabeça) compramos o livro mais verbalmente indecente e chocante que conseguimos encontrar e foi aquilo a prenda para a rapariga. Ela não se cansou de nos mandar mensagens a dizer como tinha adorado o livro... Foi tipo Twilight Zone, porque vocês não estou a ver, mas a rapariga era mesmo tipo "menina do coro" lol Foi excelente, e desde aí que nos dedicamos a dar prendas estranhas àquelas pessoas para as quais não fazemos ideia do que havemos de comprar mas que também não é assim tão importante. Relembro o famoso caso do filme pornográfico dentro da caixa de outro filme, para aqueles de vocês que já lêem o meu blog há mais tempo, já sabem qual é ^_^
Ainda há pouco tempo consideramos oferecer um taco de basebol a alguém :P Como o rigormortis diz, um taco de basebol é um óptimo elemento decorativo que fica bem em qualquer quarto. Adiante, a semana passada estávamos imersos em preocupação por causa da prenda da M&Ms, tinha de ser uma coisa mesmo excelente, e no final saímo-nos muito bem, acabamos por comprar 3 prendas hehe e ainda nem lhe demos a terceira. Bem, mas hoje não era tão preocupante porque não tínhamos aquele standard de qualidade a manter. Entramos na Bertrand e decidimos que havíamos de sair de lá com a prenda, fosse ela qual fosse. Vimos prateleiras e prateleiras de livros, sendo que o objectivo de hoje era o encontrar e comprar o maior livro que lá houvesse (em vez de, por exemplo, o mais verbalmente indecente) para que a rapariga não tivesse sequer coragem de o ler e assim nos dissesse que sim senhor, tinha gostado muito do livro, para não ficar mal à nossa frente quando lhe perguntássemos se estava a gostar. Sim, eu sei que nós somos um pouco loucos. Passamos imenso tempo nas prateleiras dos livros esotéricos a tentar arranjar alguma coisa possivelmente útil. O rigormortis pegou para lá num livro de magnetismo, ou lá o que era, eu peguei num livro qualquer de feitiços e pus-me a ver se encontrava o desejado feitiço de "Como tirar 20 em todos os exames sem ser necessário estudar, nem fazer um esforço de qualquer género", mas infelizmente (digam todos: ooooooooooh...) não encontrei. Encontrei um feitiço de invisibilidade, mas não era coisa muito prática de se fazer, uma vez que era preciso a cabeça de um homem morto, e enfiar-lhe feijões pretos nos olhos e coisas do género. Encontramos um livro que era o "Guia prático para a salvação no fim dos tempos", folheamo-lo mas não encontramos nenhuma indicação prática do que fazer no fim dos tempos :P Que palhaçada. Mas claro, dou aquele benefício de que é uma secção bastante rica em material para comentários sarcásticos e para histórias mirabolantes que nós gostamos de inventar para depois no futuro fazermos filmes. O rigormortis lemrou-se de que tinha ouvido falar de um livro chamado "A bíblia de Satanás" e que isso era óptimo para se oferecer a alguém, com um bocado de sangue de galinha salpicado nas páginas. Procuramos por isso mas não encontramos, encontramos antes um livro enorme, grande grande grande, chamado a Bíblia da Vida, que não era assim muito caro e ainda por cima preenchia o requisito de ser enorme. Não foi precisa muita deliberação para decidirmos que aquele era o livro a comprar. Claro que o rigormortis não pôs de lado a hipótese da Bíblia de Satanás e disse que isso ia ser para a próxima pessoa a fazer anos que não fosse eu, nem a Litha, nem a M&Ms (que fez anos há uma semana, portanto dificilmente lhe ia calhar o livro a ela). Escangalhei-me a rir com um comentário que ele fez depois de eu me ter referido a nós como "pessoas relativamente normais", que foi: "Sim, nós somos pessoas relativamente normais que daqui a umas horas vamos estar no site da amazon a ver se encontramos algum livro chamado Bíblia de Satanás, e eu a perguntar à minha avó se está para matar alguma galinha para breve para poder usar o sangue.". Well, normality is overrated anyway. O próximo aniversário comunitário é dia 15 de Novembro, portanto até lá there's plenty of time to get the book >=) Claro que duvido que façamos a parte do sangue, mas pronto, já oferecer o livro vai ser giríssimo, *muahuahuahauah* is there anything better than creeping people out? >=) O tempo hoje no Porto esteve interessantíssimo, numa viagem de autocarro vi para aí uns 3 ou 4 climas diferentes: sol aberto, enevoado, ventos ciclónicos e chuva torrencial. O trânsito, claro, ficou caótico, e eu vim de comboio para a terrinha, com o rigormortis, e foi aí que ele me pôs a ouvir Ukurrale no seu magnífico MuVu. As músicas são mesmo de partir a rir, pelo menos eu ri-me, e tendo em conta que o meu estado de espírito não é o melhor ultimamente, isto até é dizer muito ^_^ Aqui vai a letra de uma das musiquinhas mais clean:

Ukurrale
Estou no Telhal
Era uma chuvosa,
Terça-Feira
Em que tudo me corria mal
Eu estava em casa,
Isolado do mundo
Mas, eis que tocam à campainha
Espreitei pelo buraco,
Vejo algo de manhoso, e disse:
“Não, a droga não está aqui”
(mas não era a P.J. era o Sr. do Círculo de Leitores)
Que me queria vender os “3 porquinhos”
Já tenho 7 edições, penso que não preciso de mais nenhuma, muito
obrigado…
E ele fulminou-me a tromba
Um morteiro,
Mandou-mo,
Directamente para o chão da cozinha
Estou mutilado,
Já não tenho uma face simétrica,
A minha tromba está uma lixeira!
Aquela porra,
Fodeu-me o centro da tromba
E depois…
Fui internado
No Hospital do Telhal
Não… não não sou
Eu não não sou,
Um mutante de tromba reles
Sim, sim eu estou
Sim eu estou
Internado no Telhal
Foste tu!
Foste tu!
Foste tu!
Que me transformaste neste animal
Não… não não sou
Eu não não sou,
Um mutante de tromba reles
Sim, sim eu estou
Sim eu estou
Internado no Telhal
Foste tu!
Foste tu! (aí foste tu, meu cabrão!)
Foste tu!
Que me transformaste neste animal

Wednesday, October 06, 2004

Welcome to my life...

Do you ever feel like breaking down?
Do you ever feel out of place?
Like somehow you just don't belong
And no one understands you
Do you ever wanna run away?
Do you lock yourself in your room?
With the radio on turned up so loud
That no one hears you screaming
No you don't know what it's like
When nothing feels alright
You don't know what it's like to be like me
To be hurt
To feel lost
To be left out in the dark
To be kicked
When you're down
To feel like you've been pushed around
To be on the edge of breaking down
When no one's there to save you
No you don't know what it's like
Welcome to my life
Do you wanna be somebody else?
Are you sick of feeling so left out?
Are you desperate to find something more
Before your life is over
Are you stuck inside a world you hate?
Are you sick of everyone around?
With the big fake smiles and stupid lies
But deep inside you're bleeding
No you don't know what it's like
When nothing feels alright
You don't know what it's like to be like me
To be hurt
To feel lost
To be left out in the dark
To be kicked
When you're down
To feel like you've been pushed around
To be on the edge of breaking down
When no one's there to save you
No you don't know what it's like
Welcome to my life
No one ever lies straight to your face
And no one ever stabbed you in the back
You might think I'm happy
But I'm not gonna be ok
Everybody always gave you what you wanted
You never had to work it was always there
You don't know what it's like
What it's like
To be hurt
To feel lost
To be left out in the dark
To be kicked
When you're down
To feel like you've been pushed around
To be on the edge of breaking down
When no one's there to save you
No you don't know what it's like
To be hurt
To feel lost
To be left out in the dark
To be kicked
When you're down
To feel like you've been pushed around
To be on the edge of breaking down
When no one's there to save you
No you don't know what it's like
Welcome to my life
Welcome to my life
Welcome to my life

by Simple Plan
Ultimamente, é assim que me sinto. Felizmente para mim, tenho o rigormortis, a M&Ms e a Litha... They know what it's like. Eles é que me impedem de enlouquecer neste mundo de doidos...

Sunday, October 03, 2004

E para a mui nobre Gaija 3 a.k.a. M&Ms...



Gaija, chegaste aos 20, tás muito cota ;P Não tenho palavras que cheguem para te desejar tudo aquilo de bom que tu mereces, por isso ponho só aqui o Vash (que sei que tu gostas lol) a desejar-te um Happy Birthday :) Apesar de já te ter dado os parabéns pessoalmente, fica aqui a marca na web do teu aniversário. Beauty always comes with dark thoughts, so try not to be so beautiful today, ok? Although we've all been gorgeous lately, from that point of view... Oh well... Love you sis, you deserve the best birthday ever *hugs* Feliz Aniversário!!

Saturday, October 02, 2004

Frase do dia

"Beauty always comes with dark thoughts".

Se isto for verdade, então devo estar mais cheia de beleza do que nunca...

Friday, October 01, 2004

Hangover's a bitch...


A única coisa em destaque esta semana são coisas degradantes. Segunda, terça e quarta fui às aulas mais ou menos direitinha (só faltei a uma aula teórica na quarta feira) mas quarta feira à noite, tudo descambou. Houve jantar de curso e eu, que andava a precisar de alguma festinha com álcool, decidi que para mim nada de beber suminhos, ia beber tudo para lá que tivesse álcool para afogar algumas mágoas e ficar com uma certa alegria. Como não ia poder ir ao Mau Mau para a festa da FCUP, a seguir ao jantar, tinha de conseguir isso tudo durante o jantar. Estava tudo a correr bem, nada de sumos para mim, já tinha bebido amarguinha e uns quantos copos de uma porcaria que vinha em jarros e que ao início eu julguei ser vinho normal (embora péssimo de sabor :P) mas depois disseram-me que era receita - não sei se era ou se não era, sei que não tinha um grau de álcool normal - até que comecei a sentir-me um bocado esquisita, como se já não estivesse lá e estivesse a assistir a um filme ou assim. Estava um bocado fora :P Mas o Tone continuava a encher-me o copo, e eu tinha aquela vozinha dentro de mim a dizer-me "Não bebas mais, já chega, sua burra" mas bebia, e depois era o pessoal a cantar "E se a Nakamura quer ser da nossa malta... tem que beber esse copo até ao fim, até ao fim" etc.,e eu bebia... Ok, aquela zurrapa era horripilante, e em minha defesa eu quero que saibam que tive uma paragem de digestão (SIM!!!) e isso ajuda a explicar o que aconteceu a seguir que foi... Blah... Ali no meio. Acho que nunca passei tanta vergonha na minha vida. Muito mau. Quando finalmente me fui embora, consegui andar na boa, a minha cabeça parece que estava a flutuar e só queria dormir, mas ainda por cima era o meu pai que me ia buscar (e à Porphyra e ao Tone) e eu tinha de parecer normal. Foi um esforço sobrehumano, eu só me queria encostar para lá e dormir. Quando cheguei a casa, senti-me mesmo muito mal, e lá fui eu para a casa de banho e fora veio o jantar todo, inteirinho, não digerido, sendo daí derivada muita da má disposição! A noite foi boa até às 7h da manhã, altura em que as dores de cabeça e o enjôo começaram a piorar em força. Até às 10 da manhã foi uma desgraceira. Eu jurava a pés juntos que nunca na vida me tinha sentido tão mal, tomava chá atrás de chá mas não conseguia segurar nada cá dentro, foi péssimo... a pior manhã desde há muito, muito tempo. Depois passou e fui melhorando, fiquei em casa (lá se foi uma prática de Química...) deitadinha no sofá a ver TV e a beber chazinhos e água das pedras. Á noite, e porque já me sentia melhor, programei a minha aparelhagem para despertar às 9h, porque fazia todas a intenções de ir a uma aula prática de Biologia e Desenvolvimento Vegetal às 11h, e fui-me deitar. Hoje acordei às 9h45 >=( A ignóbil aparelhagem não despertou, o que significa que é menos uma aula prática!! Argh. Imagino o que é que os meus colegas devem pensar. Que fiquei tão mal que nem apareci na fac. 2 dias seguidos... que vergonha... Ainda por cima, um maldito mosquito mordeu-me a pálpebra do olho esquerdo, que está agora inchada e faz-me parecer o Corcunda de Notre Dame, porque não consigo abrir o olho como deve ser. O meu irmão tem andado a fugir de mim pela casa fora e a gozar-me. Estou mesmo com um ar horrível. Disto tudo resulta que estou a pensar tornar-me abstémica. I'll never drink again...!

The Offspring
The Worst Hangover Ever

Ballroom scene, but the fire underneath.
Gonna eat you all alive,
Gonna bring you to you're knees.
Went out drinking late last night i had a blast,
Well now the morning light has come and kicked my ass!
(WOAH OHHH)
I've got the worst hangover ever!
I'm crawling to the bathroom again
It hurts so bad that i'm never gonna drink again

And by my seventh shot I was invincible
I would've never thought I'd be this miserable
(WOAH OHHH)
I've got the worst hangover ever!
I'm rollin' back and forth on the bed
I'm worked so bad that I'm never gonna drink again

Won't someone just kill me
Put me out of my misery!
I'm makin' deals with god
I'll do anything!
make it stop please
make it stop please!
make it stop please
make it stop please!
(WOAH OHHH)
I've got the worst hangover ever!
I'm crawlin' to the bathroom again,
It hurts so bad that i'm never gonna drink again.

I'll probably never drink again.
I may not ever drink again.
At least not 'til next weekend
I'm never gonna drink again!