Tuesday, September 13, 2005

Mais uns dias, e mais uns quantos filmes vistos na minha lista. Vamos lá à rectrospectiva cinematográfica do costume.

Fantastic Four
Image hosted by Photobucket.com
Um filme pipoca que cumpre bem a promessa de entretenimento. Não é fantástico (ao contrário deste trocadilho :P), mas também não é muito mau (principalmente quando comparado a outras adaptações de BD, como o Daredevil... o Fantastic Four à beira desse merecia ganhar uma dúzia de óscares), tem uns efeitos especiais porreiritos, a história já toda a gente sabe de trás para a frente e é fácil de seguir, e depois claro, tem o Tocha Humana, o que valoriza muito o filme xD Just some summer fun.

Land Of The Dead
Image hosted by Photobucket.com
Oh yeeeeah, este filme é que foi do caraças :D Muito antecipado por ser a continuação da famosa trilogia de zombies de George Romero. Talvez não corresponda às expectativas daqueles fãs mais acérrimos, mas na minha opinião quem simplesmente queria um bom filme de zombies não tem muito por onde se queixar. Neste filme, os zombies estão praticamente por todo o lado e a humanidade é obrigada a sobreviver numa cidade protegida por grades electrificadas de modo a que os zombies não entrem lá. Nessa cidade, há uns gajos ricos que vivem num ganda prédio todo lindinho, todo chique e tal e coisa, e há os gajos pobres, que vivem na miséria como cães. Quem manda naquilo tudo é um tipo mau como as cobras que se está bem a cagar para toda a gente menos para ele próprio. Há um grupo de pessoas cuja função é sair e procurar comida nos arredores da cidade, tendo para isso a ajuda de uma espécie de um tanque, e de fogos de artifício, que distraem os zombies enquanto eles vão às lojas sacar o que puderem. Só que às tantas, os zombies começam a evoluir. Já não se distraem com o fogo de artifício, começam a pensar e a comunicar uns com os outros, o que, obviamente, é mau para os humanos. Os zombies empenham-se em chegar até à cidade de Uniontown, e entretanto os humanos andam ocupados com outra parte do argumento do filme, da qual não me apecete falar muito agora porque exigia muita explicação e daqui a bocado estou a contar o filme todo. No que diz respeito o argumento, é simples, mas nada de especial. O final foi um bocado idiota e não encaixou muito bem com o resto do filme ou qualquer outro filme de zombies, mas enfim, compensou-se de outras maneiras. Claro que um dos pontos mais esperados com um filme destes é: os zombies. E os zombies eram lindos xD A maquilhagem era perfeita, o andar, o grunhir, aquelas trombas feias dos gajos, enfim, um espectáculo de zombies. Do melhor que tenho visto. E o gore, meus amigos, o gore! Aquilo é sangue, eviscerações, mutilações, há de tudo para todos os gostos, e de certeza que não dá para nenhum fã de zombies ficar desiludido. O filme está muito bem feito, e tem uma cena espectacular que de certeza se vai tornar a sua imagem de marca; quando os zombies começam a sair da água para chegar à cidade, lindo. Só não gostei de não me ter conseguido aperceber do cameo do Simon Pegg, o Shaun do grande "Shaun of the Dead", que foi pessoalmente convidado pelo Romero para o tal cameo :D

House of Wax
Image hosted by Photobucket.com
Quando soube que a Paris Hilton ia entrar neste remake, para além de quase ter regurgitado o almoço, chorei a perda do que podia ser, potencialmente, um bom slasher. Depois de meses de recuperação, decidi que afinal não perdia nada em ver o filme e se bem o pensei, melhor o fiz. Na realidade, longe de ser um slasher extraordinário, é um bom esforço e tem os seus méritos. A história, ao início, também já está um bocado vista: um grupo de jovens que por esta ou aquela razão vai parar a uma cidade estranha, onde de normal há muito pouco, o que eles vão descobrindo da pior maneira. O filme começa devagar, leva o seu tempo a começar a acção propriamente dita, o que não é mau. Os cenários estão bons, principalmente a Casa de Cera em si, que é literalmente uma casa de cera e protagoniza um final muito porreiro. Os actores, bem, cá para mim safam-se os dois principais e os outros andam lá um bocado a encher chouriços. A Paris Hilton não é tão horrível como eu pensava, mas ela que não pense em enveredar numa carreira cinematográfica... O mauzão é mesmo um mauzão do caraças, e faz muitas maldades aos meninos :P e de formas imaginativas, o que já em si é uma vantagem em filmes deste género. No final, acho que há uma tentativa idiota para um twist, ou, sabe-se lá, para fazer uma sequela, mas era completamente desnecessário e arruina um bocado o gozo do final do filme. Não se perde nada em ver, e quem gostar de slashers tem aqui uma boa razão para ir ao cinema.

Audition
Image hosted by Photobucket.com
Este foi um daqueles em que perdi por ter as expectativas demasiado altas. Gostei bastante, mas estava à espera de qualquer coisa mais, nem eu sei bem o quê. Este filme é a história de um viúvo solitário que decide que está na altura de voltar a casar. Mas como andar à procura de alguém ideal, com todas as qualidades que ele queria, seria um bocado complicado, um amigo dele que trabalhava na área do cinema facilitou-lhe a tarefa: sugeriu organizarem uma audição, à qual ele assistiria, e durante a qual ele escolheria uma das candidatas para ser o seu par romântico e tirá-lo da solidão. Ora o pobre senhor fica encantado com a última candidata e decide, pouco depois, que é aquela que ele quer, contra os conselhos do mais atento amigo, que sentiu logo que havia na rapariga qualquer coisa que não batia certo. À medida que o filme vai avançando, vamos descobrindo que a rapariga não bate mas é bem da bola e está longe de ser um poço de virtudes, como o viúvo pensava que ela era. Há algumas cenas de violência, sendo que no final se atinge o auge, numa cena que não é muito fácil de ver. É um filme desiquilibrado (como quase todos os do Takashi Miike lol e este não é o pior), violento, e perturbador, muito bem filmado e interpretado, mas não o considerei um filme de terror. E é assim que ele está catalogado. Mas vale bem a pena passar os olhos por esta obra.

Tuno Negro
Image hosted by Photobucket.com
Este slasher de nuestros hermanos esteve no Fantasporto em 2002, e penso que ganhou uns premiozitos. Se soubesse o que sei hoje, já o tinha comprado em DVD... agora já não devo arranjar U_U Enfim. É um filme sobre um assassino mascarado que se dedica a despachar alunos de várias universidades espanholas, com a particularidade de andar trajado e se denominar Tuno Negro (os Tunos, como devem conseguir calcular, são aqueles que pertencem às Tunas :P). O argumento tem algumas falhas e tantas outras particularidades engraçadas, pelo que fica equilibrado. As personagens, enfim, não consegui gostar muito de nenhuma: a rapariga era uma galdéria da pior espécie, os rapazes eram uns bêbados com a mania de que eram machos latinos lol enfim, mas pelo menos é diferente dos slashers americanos, cheios de jocks e rapariguinhas responsáveis e indefesas. O assassino fazia o seu trabalho da melhor maneira, e temos uma bela quantidade de gore neste filme :P Também há aqui e ali uns laivos de humor, eu ri-me a bom rir numa cena em que uma estudante de medicina completamente clueless tem de fazer um exame que consiste em autopsiar um cadáver e descobrir a causa da morte. O filme mantém o ritmo acelerado e não dá para ninguém se aborrecer, é despretensioso e tem uma história minimamente original. Gostei muito, agora só queria era arranjar o DVD...

Alone in the Dark
Image hosted by Photobucket.com
What a piece of crap. Aproveito para vos remeter à crítica feita no blog Cinema Xunga (que tem o link ali ao lado, é favor irem visitar), que é muito mais eloquente do que poderia alguma vez ser.
"Este é um daqueles filmes em que a história roda em volta de um artefacto alienígena (ou lá o que é!) e que depois descamba num clone de Alien ou Predador. Há também cenas completamente aleatórias de tiroteios que vêm do nada absoluto e uma gaja boa se arrasta pelo ecran a dizer palavras complicadas para parecer inteligente. É um filme tão horrível que perder mais que 10 minutos numa crítica seria como olhar no espelho e observar o cabelo a crescer, tarefa bem mais interessante e satisfatória do que assistir a este horrendo pedaço de esterco que o videogame pariu. É merda tão má que faz mais pela taxa de suicidio do que o desemprego e a depressão juntas... Dizer que é horrível é um grande elogio. Dizer que é uma merda seca é também um elogio, porque já vi merdas secas interessantes. Este é a nulidade total e a prova que a ausência total de inteligência e capacidade criativa pode criar outro filme depois do Hellboy." - tirado do Cinema Xunga. Tenho que experimentar vê-lo numa daquelas late night sessions com mais algum pessoal, de certeza que me escangalhava a rir.
Mudando de assunto, os My Chemical Romance têm um videoclip novo, desta feita da música The Ghost of You. Está muito bom e recomenda-se, pode ser visto em www.mychemicalromance.com ^_^
Image hosted by Photobucket.com
E agora podia enumerar as 1001 razões porque não me apetece voltar às aulas, mas sou uma pessoa preguiçosa por natureza e não vou fazê-lo. Deixai-me aproveitar os últimos tempos de liberdade fazendo algo completamente fútil, como, hmmm, jogar computador. Fica para a próxima :P

1 comment:

carolina said...

Ola. Sou a carolina e ja deixei um coment no teu jogo mais a baixo....
Os unikos k tenho dai sao os fantastic 4 e house of wax.
Ja os tenho pk tenho um programa kl tira filmex.
jokinhas