Sunday, September 05, 2004

Yamakasi - Les Fils Du Vent



Eu sou mais uma daquelas pessoas que já se fartaram da temperamentalidade do Sapo. O bicho ora funciona, ora não funciona... E isso não pode ser... Então, como quem está mal muda-se, aqui estou eu a mudar-me para uma "casita" que espero que não me dê tantas dores de cabeça como o nosso amigo Sapo. Vai ser difícil é despedir-me do outro blog... *snif* Bem, mas aqui fica um post que estava destinado ao meu blog no Sapo e que vai ter de ser postado aqui, porque o outro não está a funcionar. Foi escrito sexta feira (desde aí que sapo anda tolo!).

"Yamakasi - Les Fils Du Vent foi o filme escolhido para a noite cinematográfica de ontem. Inicialmente, éramos para ter ido ver o "I, robot", mas ao vermos que tinha estreado o 2º Yamakasi (que eu nem sabia que existia), e depois de lermos o resumo, decidimos que preferiamos ir ver um bando de tipos a saltar que nem malucos pelos telhados de uma cidade do que ver o Will Smith a rebentar uns robots ao tiro. O resumo do filme era bastante prometedor: dizia que o grupo de Yamakasi iam para a Tailândia, e isso é que interessava. Ora um filme de acção na Tailândia implica Muay Thai, isto implica altas cenas de ass kicking, e isto implica um filmezito no mínimo bem passado. Lá fomos nós, felizes e contentes, para a sala do cinema; e por alegres minutos pensamos que íamos ficar lá sozinhos, infelizmente começaram a chegar mais pessoas e o filme conseguiu um razoável número de espectadores em noite de estreia: 6 ou 7.
Eu não queria falar demais do filme para não correr o risco dos spoilers... Limito-me a dizer-vos que o filme não fez o menor sentido. Parece que tudo acontecia como um pretexto para haver mais acrobacias. E tudo bem, as acrobacias até estavam porreiras, mas ainda há pouco tempo vimos Ginástica Artística nos Jogos Olímpicos, não precisamos de pagar 3,5€ para ver o mesmo num filme, num filme uma pessoa gosta sempre de ter assim um bocadinho de história. As criaturas lá andavam a rodopiar, a saltar e a fazer piruetas pela Tailândia toda até começarem a aparecer na mistura Yakuzas, Tríades, e uns indíviduos que usavam sacos esquisitos na cabeça que lhes fazem a vida negra. Então descobrimos que eles para além de saberem rodopiar e saltitar também sabem artes marciais e dão cabo dos maus todos que vêm atrás deles, independentemente de estes serem assassinos profissionais. Eles metem-se naquele mundo das Máfias mas ninguém lhes toca... Quer dizer, tocar tocam, mas nenhum deles morre... qual quê, atenção aos francesitos, eles dão cabo de todo e qualquer yakusa que se atravesse no seu caminho. Há uma data de coisas absurdas a acontecer a toda a hora, só que para salvaguardar os spoilers, não vou falar delas. Enfim, se tiverem saudades dos Jogos Olímpicos dêm um saltinho a este filme, as acrobacias estão bem feitas e... Hmmm... Bom, é a única coisa boa que tenho a dizer. O resto do filme é a incoerência total.
Hoje foi noite de jantar de duplo aniversário aqui para a Nakamura. All good fun, jantarzinho porreiro num restaurante chinês, conversas interessantes (como por exemplo, aprendi que a noz moscada dá alta moca, e que fumada se torna alucinogénea... *Nakamura revista a casa em busca de noz moscada*), muito riso, enfim, uns momentos fixes, Conheci pessoal novo, daquele que tenho quase a certeza que nunca mais na vida vou ver, ou que se vir ou não os conheço a eles ou eles não me conhecem a mim, mas não me importo porque só as piadas de hoje à noite já fizeram com que conhecê-los valesse a pena :)
Ah, hoje também vi um dos filmes mais horripilantes de sempre (e horripilantes no sentido de o filme ser mesmo uma caca, não de meter medo): "I'll kill you, bury you, and spit on your grave too!". O título parecia prometedor, mas fui a ver... Actores, bah, nem se podia chamar àquilo actores. Já vi melhor nas novelas da TVI (e não vejo novelas da TVI... nem nenhumas, para dizer a verdade.). Aquilo parecia que estava filmado com uma máquina rasca qualquer, a imagem até feria os olhos. História... inexistente. Nem o assassino era minimamente assustador. Que porcaria, gastei eu o meu tempo com aquilo. O meu único conforto é que não paguei dinheiro para o ver!"

Ontem à noite houve jantarito com outros dos meus amigos da faculdade. Estive lá eu, o Tone, a Porphyra, o Vício e a Inalf. Jantamos no world famous café "O Piolho", mesmo em frente à nossa faculdade, lá estivemos a discutir as férias e a dizer mal de tudo quanto é profe daquela casa (lol) e a olharmos para o céu a ver quando é que desabava uma tormenta em cima de nós - nós estávamos a comer na esplanada, e estava a trovejar não muito longe dali, mas uma trovoada mesmo a sério : Depois fomos para casa do Tone, estivemos lá a ver o American Pie pela milionésima terceira vez (menos o Vício, que nunca tinha visto... Foi a verdadeira primeira vez dele :D) e depois viemos embora. Eu ainda estava com pica para fazer mais qualquer cena, mas como a Porphyra é que guiava e tal, viemos embora mesmo quando ia começar "O predador da noite", ou "Ressurection" no original, o filme com esse grande actor (ou não) Christopher Lambert. Lembro-me de quando eu era uma jovenzinha de 14 anos e quis ir ver este filme ao cinema (que era para maiores de 18), e os sacanas dos gajos do cinema não me quiseram deixar entrar porque era menor de idade. É um dos meus traumas de pseudo-infância. Pelo menos agora posso ver todos os filmes que quiser, Muahauahauahauahauah!! Enfim, como a Porphyra não gosta daquele tipo de filmes (e também já era bastante tarde) aproveitou a deixa para virmos embora. Foi uma noite porreira na companhia destes malucos.
Peace out!

1 comment:

XTG said...

Epá, devias ter usado o "por dá-cá-aquela-palha", isso fica mesmo bem :)
Ainda bem que mudaste de blog :) *