Monday, October 25, 2004

What to do when your life starts sucking really hard (or at least so it seems to you)


If only I knew... *sigh*
Este Domingo foi completamente miserável. Mau. Terrível. Fiquei um farrapo. Se eu já não andava muito animada, então ontem a pouca alegria que tinha esvaiu-se. Saí de casa, onde já não me estava a sentir bem nem à lei da bala, e fui para casa da Litha, onde fiquei sentada como um mono enquanto ela se esticava em tentativas e tentativas para me animar. Comecei-me a sentir um bocado como um empecilho, porque a rapariga tinha cadernos para passar a limpo e eu estava-lhe a atrasar a vida - claro que ela não disse nada, mas eu vi as coisas todas espalhadas pela mesa da sala fora - e não atava nem desatava. Eu sou mesmo esquisita. Ao ir lá, estava cheia de vontade de desabafar, de dizer cobras e lagartos do que se passava à minha volta, sobre a minha existência quase vazia, sobre todas as razões porque tem sido difícil encontrar-me de sorriso na cara (que muitas delas nem eu sei quais são...), mas quando cheguei não consegui falar. Tinha um nó na garganta, e por isso fiquei assim feita mona até ao momento em que tive de ir embora, umas horas mais tarde, em que me debulhei em lágrimas para cima dela e depois é que não disse mesmo nada de jeito (uma pessoa quando está a chorar baba e ranho tem de fazer um esforço do carças para respirar, quanto mais para falar :\ para mim é quase impossível...). Sometimes all we need is a shoulder to cry on. No momento não me senti melhor (porque tive de ir embora quando preferia ter ficado, e porque estava com medo de enfrentar a tempestade que eu sabia que havia de vir logo que chegasse ao carro dos meus pais), mas depois percebi que às vezes é mesmo muito necessário chorar, alivia muito. E tenho muita sorte em ter alguém que me ature e que me apoie nestes momentos. Enfim, depois tive de ir para os anos do meu tio, no meio de um ambiente familiar mesmo agradável (NOT), e toda a gente comentava em como eu estava amarelada e abatida, e uma tia minha até me foi tirar a febre lol Eu desculpei-me com a história do dente, mas não sei se acreditaram muito, porque ao longo da noite foi o que se ouviu mais, conversas sobre o meu mau aspecto :P Muito giro. A minha disposição até melhorou, estive com a minha prima Xoph e consegui espairecer um bocadinho, mas depois de chegar a casa foi outra vez mau. A Litha ligou-me a perguntar se eu estava melhor, mas nem sabia o que lhe dizer, disse que estava um bocado melhor, para não a preocupar e também porque até estava, ter estado com ela e depois com a minha prima ajudaram um pouco, mas quando estou sozinha custa mais... Hoje de manhã acordei, com os olhos tão inchados que parecia uma espécie de mutante qualquer lol e a minha vontade era de não pôr os pés na faculdade, esse sítio onde abomino todas as aulas que tenho, mas o que tem de ser tem muita força e por isso lá fui eu. No caminho, estive a ouvir o CD novo dos Sum 41, "Chuck". Depois de ouvir 2 vezes, tenho de dizer que não é lá grande coisa, embora seja audível. Tem músicas que entram no ouvido, outras nem por isso, mas no todo não é nada de especial. No entanto, ouvi uma música que me entrou logo na cabeça, era muito pequena, mas a letra é assim:
"I'm slippin' away
In every way
I can't stay (and I don't know why) awake
I'm slippin' (and I don't know why) away
But tryin' to make it through each day
I'm fallin apart now in every way
I'm findin' it harder to get by
Theres a hole in my heart
And, I dont know why
Now I've come to realize
I'm slippin' away"
Cheguei atrasada à primeira aula, por isso tive de ir para as últimas filas do anfiteatro, onde passei uma parte da aula a rabiscar no caderno (uma coisa boa em estar assim nas últimas filas é que posso rabiscar à vontade, sem ter os colegas do lado a olharem por cima do meu ombro, porque isso é uma coisa que me intimida um bocado e assim não consigo desenhar lol estando mais sozinha já não há problema). Depois reuni-me com os meus college buddies Citrus, Mike, Vício, Porphyra e Timli, fomos comer qualquer coisa ao bar, onde eles me fizeram uma proposta indecente. Eles queriam ir ao cinema hoje à tarde, mas oh maldição do destino, eu tinha uma aula prática. Eles aliciaram-me a faltar e convenceram-me a compensar a aula amanhã de manhã - o que significa que vou ter de me levantar às *gulp* 6h30 da manhã... O Citrus achou-me muito estranha e insistiu muito para eu ir, porque ia-me fazer bem. Eu estava-me a sentir tão mal que se calhar ter aquela aula dava cabo de mim, por isso pensei "What the heck!" e fui mesmo. A caminho do carro da Porphyra, falei um bocado com o Citrus e isso fez-me sentir melhor. No carro, fomos a curtir um som todo estúpido, a ouvirmos a música do D'artacão e uma música qualquer das Doce em altos berros e com as janelas abertas... :\ Deixamos a Timli perto dos Leões (ela não queria perder uma teórica que íamos ter à tarde) e seguimos para o NorteShopping, esse local de culto (ou não), onde descobrimos que o Wimbledon - ó único filme em que toda a gente concordava mais ou menos em ir ver - tinha uma sessão às 13h40. Ainda dava para ir à Fnac dar a voltinha da praxe, comer e tudo com tempo. Ir à Fnac é desesperante porque toda a gente vê coisas que quer comprar, mas nós, como bons estudantes, andamos sempre sem dinheiro, e portanto nada feito, nada para ninguém, só nos babamos em frente às coisas. Depois destas andanças pelo shopping e do almoço comido, foi altura de entrarmos para vermos:

Sinceramente, o filme é engraçadito. É leve, que era o que eu precisava, tem os seus momentos de humor, e não é que eu perceba muito de ténis mas as cenas até estão bem feitas. Na banda sonora está uma música que eu adoro e que é da banda sonora do Crazy/Beautiful um filme do qual falei há pouco tempo, também com a Kirsten Dunst. É do David Gray e é linda, só que cada vez que a ouço fico fragilizada :P por isso quando a comecei a ouvir no filme... Bem, bem.
This year's love
"This years love had better last
Heaven knows it's high time
And I've been waiting on my own too long
But when you hold me like you do
It feels so right
I start to forget
How my heart gets torn
When that hurt gets thrown
Feeling like you can't go on
Turning circles when time again
It cuts like a knife oh yeah
If you love me got to know for sure
Cos it takes something more this time
Than sweet sweet lies
Before I open up my arms and fall
Losing all control
Every dream inside my soul
And when you kiss me
On that midnight street
Sweep me off my feet
Singing ain't this life so sweet
This years love had better last
This years love had better last
So whose to worry
If our hearts get torn
When that hurt gets thrown
Don't you know this life goes on
And won't you kiss me
On that midnight street
Sweep me off my feet
Singing ain't this life so sweet
This years love had better last
This years love had better last
This years love had better last
This years love had better last "
It means a lot to me. Quase saí do filme a gostar de ténis ^_^ O Citrus, que adora ténis e também é jogador aos fins de semana, também gostou muito, e até o Vício gostou, por isso se quiserem ver um filme levezinho e despreocupado, não perdem nada em ver este. Eu quase de certeza que vou ter de o ir ver outra vez por causa da M&Ms - a maior tenista portuguesa ;) Voltando ao filme, as interpretações são boas, gostei do Paul Bettany e da Kirsten Dunst também e até achei que tinham química como par romântico. Voltei-me a assustar com a semelhança que eu encontro entre a Kirsten Dunst e a Litha :P Não em todos os filmes, mas a maior parte das vezes até me mete medo. É como se nos Estados Unidos houvesse uma "cópia" loira (e às vezes com olhos de carneiro mal morto :P) da minha mana. É muito estranho. Well, bottom line is, o filme é castiço e gostei de o ver. Animou-me. Ainda me ri à brava algumas vezes, valeu a pena :) Quando viemos embora, recusei a boleia da Porphyra, preferi apanhar o metro e depois vir para casa de autocarro para espairecer as ideias, embora estivesse a chover. Apanhei o metro com o Citrus e o Vício, que não conseguia validar o cartão dele, então lembrou-se de que tinha deitado o recibo da viagem ao lixo e pôs-se a vasculhar no lixo à procura dele lol Entretanto como o metro estava a chegar, ele apanhou 3 ou 4 recibos e levou-os para dentro do metro para ver qual era o dele lol eu e o Citrus só nos ríamos. Por acaso um daqueles calhou de ser o dele, mas acabou por não aparecer o revisor lol andou o rapaz a revolver o lixo para nada. Saí na paragem do Citrus, fui com ele até casa e agora cá estou, em casa, a tentar não me sentir demasiado deprimida mas não sei o que fazer para evitar isso. Any thoughts?

2 comments:

Rui Santos said...

Podes sempre continuar a escrever, a desenhar, a fazer algo que não te faça pensar muito...
Passear, ouvir música, ou pura e simplesmente começares a estudar...ehehehe

XTG said...

Podes sempre vir a Lx beber um café e ir ao cinema :p *